sábado, 18 de fevereiro de 2017

A Rapariga Dinamarquesa, David Ebershoff

Sinospe 
Inspirada na história verídica do pintor dinamarquês Einar Wegener e da sua esposa americana, A Rapariga Dinamarquesa traz-nos um retrato terno e comovente sobre um amor que desafia todos os limites.
Tudo começa com um simples pedido. A modelo que Greta está a pintar cancelou a sessão agendada, na altura em que faltam apenas alguns pormenores para a conclusão do quadro. A pintora pergunta então ao marido se se importa de calçar umas meias e sapatos de senhora por alguns momentos, para ela poder finalizar os últimos detalhes.Este pequeno favor irá trazer consigo uma série de transformações à vida de Einar, que descobre em si uma identidade até então desconhecida. Com elas, começa uma das mais apaixonantes e invulgares histórias de amor do século XX. 
Opinião 
Para quem não sabe, esta narrativa foi baseada numa história real de Einar Wegener, o primeiro homem transexual a submeter-se a uma cirurgia genital. 
Einar era intersexual, o que quer dizer que tinha características não só masculinas como também femininas. Foi-lhe ''atribuido'' o sexo masculino, o que se veio a comprovar mais tarde, não ser a pele em que Wegener se sentia mais confortável.
Toda a história começa quando Greta, esposa de Einar, pede ao marido para pousar devido ao facto da sua modelo e amiga Anna não ter podido comparecer. Ambos eram pintores, embora de estilos diferentes, mas as obras de Einar faziam mais sucesso que as de Greta. 
É nesta tarde que começa a transformação de Einar para Lili, quando este coloca um vestido para pousar e repara que a suavidade da roupa lhe faz experimentar outra pele, na qual já de disse, se sente mais confortável e confiante. Einar começa a perder terreno para Lili e Einar toma a decisão de se transformar naquilo que realmente sente que é: Lili Elber.  
Para além de todo o processo de transformação de Einar para Lili, que é muito bem descrito por Ebershoff fazendo-nos entrar dentro da personagem e entender os seus sentimentos, aflições e ambições, o narrador também faz um excelente trabalho na construção de Greta. Estando consciente de que ficaria 'viúva' (mais uma vez), incentivou Einar a seguir com a transformação. O sentimento de perda e de luto que esta esposa vai vivenciar fazem o coração de qualquer um ficar todo torcido: abdicar da sua própria felicidade para o marido viver a sua. 
Não desfazendo da história de Einar Wegener, que se pode dizer ser um dos pioneiros para milhões de pessoas hoje em dia possam olhar-se ao espelho e não sentirem que o seu corpo não casa com a sua alma, para mim, Greta é a personagem mais forte, corajosa e bem construída de todo este livro. 
ATENÇÃO: Não pesquisem mais acerca desta história antes de ler o livro, caso contrário vão ter um bruto spoiler que vos vai estragar toda a experiência e expectativa resultantes da leitura

2 comentários:

  1. Já vi o filme, infelizmente já sei o que acontece pelo que o livro não traria surpresas. A história é muito boa, no entanto, e acho que vale a pena ler na mesma :)

    Beijinhos*
    http://menteliteraria.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O livro tem uma mensagem muito importante no que se refere à aceitação. Quando ler o livro, dê-me a sua opiniao :)

      Obrigada pelo seu comentário!

      https://www.facebook.com/BookReadingPea/

      Eliminar